História

Cidade de Araçagi


Sobre Araçagi

Araçagi surgiu em meados do século XVIII, quando a região servia de pousada para os mercadores e tangerinos de gado que praticavam o comércio entre Mamanguape, que, na época, era conhecida como Monte-Mor, Marí e os sertões da então província da Paraíba. Alguns desses mercadores estabeleceram relações de amizade com os índios Guandus e fixaram-se num lugar conhecido como Rio dos Araçás.

A tradição oral conta que um português conhecido como Manoel estabeleceu-se em um lugar denominado de Tainha e, lá, casou-se com uma mestiça de nome Francisca, conhecida como dona Chiquinha. O casal teve filhos e deu origem a várias gerações. Presume-se que foi Manoel o doador de uma propriedade situada no povoado Rio dos Araçás. Naquele local, surgiu Araçagi. A palavra é tupi e significa “água de araçá”, pela junção de ara’sá (“araçá”)6 e ‘y (“água”)7 , numa alusão à grande quantidade dessa planta frutífera que se multiplicava, abundantemente, às margens do rio.

Em 1870, quando aqui chegou a família Melo, Padre Raulino Ricardo e trabalhadores cheios de boa vontade pelo progresso deste povoado, edificaram a primeira casa e o templo. Estava, assim, iniciada a formação do núcleo, um dos mais importantes que integravam o município de Guarabira. Foi o padre Francelino Coelho Viana que conseguiu melhores recursos e construiu a capela.

A emancipação política foi conseguida graças aos esforços de três homens: João Pessoa de Brito, João Felix da Silva e Olivio Câmara Maroja. A emancipação de Araçagi foi obtida graças à Lei Estadual 2 147, de 22 de julho de 1959.

Geografia

Localizado na microrregião de Guarabira. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no ano de 2006 sua população era estimada em 17 334 habitantes. Área territorial de 230 quilômetros quadrados. Araçagi faz limite com os seguintes municípios: Ao norte: Duas Estradas, Curral de Cima e Sertãozinho; Ao sul: Mulungu, Marí, Sapé e Capim; A leste: Cuité, Mamanguape e Itapororoca; A oeste: Guarabira e Pirpirituba.

O município de Araçagi está inserido na unidade geoambiental dos Serrotes, Inselbergues e Maciços Residuais. A vegetação é de caatinga hipoxerófila, com pequenas áreas de florestas caducifólia. O regime climático é quente, com chuvas de inverno. O período chuvoso de ocorre de fevereiro a agosto e a precipitação média anual é da ordem de 750 mm.

Araçagi está inserido nos domínios da bacia hidrográfica do rio Mamanguape e tem como principais tributários os rios Mamanguape e Araçagi, além dos riachos: Pau d’Arco, Guandu, da Nascença, Grande, Bananeiras, Tamanduva, Barreiro, da Barra, Salgado e Taumatá, a maioria de regime intermitente. Conta com os os açudes Barriguda, Novo, Morgado e Violeta.

As principais culturas agrícolas são o abacaxi, a mandioca, a cana de açúcar, o milho, o feijão e a fava. Na fruticultura, destaca-se o coco, manga, laranja, limão e mamão. Na pecuária, a criação de gado bovino, a avicultura e a caprino cultura.

Notas

Segundo as normas ortográficas vigentes da língua portuguesa, este topônimo deveria ser grafado como Araçaji. Prescreve-se o uso da letra “j” para palavras de origem tupi. A palavra significa “água de araçá”, através da junção dearasá e ‘y 7 8 . Ao longo dos anos, a grafia foi alterada para Arassagy, Araçagi e, finalmente, para Araçagi.

HINO

Salve, salve Araçagí
Linda, terra dos araçás
Onde, viveu a tribo Gí
De onde nasceu o teu nome oficial
Salve, salve Araçagí
Terra boa hospitaleira
Salve, salve Araçagí
Linda cidade brasileira
Deus te salve Araçagí
Terra de amor e luz
Terra de grandes progressos
Abençoada por Jesus (bis)

Linda Araçagí
Tua beleza é rara
Tu vives da agricultura
E da agropecuária
Deus te salve Araçagí
Terra de amor e luz
Terra de grandes progressos
Abençoada por Jesus (bis)